16.11.12

"As mãos sujas", Jean-Paul Sartre

"
 (Pausa)
Hoederer: Estão a ouvir? Respondam lá vocês. Digam o que é que ele há-de fazer, Slick! Que queres tu do rapaz? Que ele corte a mão direita? Que rebente um olho? Que te ofereça a mulher? Que preço tem ele de pagar para vocês lhe perdoarem? 

Slick: Não tenho nada a perdoar-lhe.

Hoederer: Tens, sim: que ele tenha entrado para o Partido sem ser compelido pela miséria.

Jorge: A gente não lho censura. O que é que, entre nós, há um mundo: ele é um amador, entrou para o partido porque achava isso bonito, para fazer um gesto. E nós porque não tínhamos outra solução.

Hoederer: E ele? Achas que tinha outra solução? A fome dos outros, sabes?, também não é muito fácil de suportar.

Jorge: Há muita gente que a suporta muito bem."

Sem comentários:

Enviar um comentário